O Ministério da Cultura e o Itaú BBA apresentam JOBIM JAZZ – TURNÊ

Mario Adnet leva ‘Jobim Jazz’ para os palcos do Brasil

Projeto inspirado na obra de Tom Jobim ganha turnê nacional com participações

Depois de debruçar-se sobre a obra de Tom Jobim sob a ótica das cordas de uma orquestra em “Jobim Sinfônico” e trazer à luz as composições do maestro Moacir Santos no projeto “Ouro Negro”, o compositor e arranjador Mario Adnet agora leva o seu projeto “Jobim Jazz” – que abre justamente o diálogo de Tom com os naipes de Moacir – para os palcos de todo o país. Dividido originalmente em dois CDs, lançados em 2007 e 2011, o trabalho agora ganha vida ao vivo em uma turnê nacional a partir do próximo dia 25 de setembro, quando será a estreia no Teatro Tom Jobim, no Rio de Janeiro, com a presença de Daniel e Paulo Jobim.

Em seguida, a turnê Jobim Jazz viaja para Brasília (26/9) com a participação de Hamilton de Holanda; Salvador (28/9), onde terá a presença do maestro Letieres Leite; Recife (4/10); Fortaleza (5/10) com o renomado músico Jorge Helder; Porto Alegre (18/10), com o virtuoso violonista Yamandu Costa; Belo Horizonte (25/10), com o mineiro Lô Borges; e termina em São Paulo (31/10), com uma participação surpresa ainda não confirmada para a gravação de um DVD.

 

Com direção musical e arranjos do próprio Mario – também encarregado do violão no palco – a turnê Jobim Jazz conta com uma orquestra formada por 13 dos melhores músicos brasileiros e cobre cerca de 40 anos da obra de Antônio Carlos Jobim, que vai de meados da década de 50 até os anos 90, fase final da carreira do maestro. No repertório lapidado para as apresentações, um passeio pela carreira universal de Tom através de standards como “Wave”, “Samba do Avião”, “Surfboard”, “Mojave” e “Takatanga”, além de raridades como “Paulo Vôo Livre”e“Polo Pony”.

Em seguida, a turnê Jobim Jazz viaja para Brasília (26/9) com a participação de Hamilton de Holanda; Salvador (28/9), onde terá a presença do maestro Letieres Leite; Recife (4/10); Fortaleza (5/10) com o renomado músico Jorge Helder; Porto Alegre (18/10), com o virtuoso violonista Yamandu Costa; Belo Horizonte (25/10), com o mineiro Lô Borges; e termina em São Paulo (31/10), com uma participação surpresa ainda não confirmada para a gravação de um DVD.

 

Com direção musical e arranjos do próprio Mario – também encarregado do violão no palco – a turnê Jobim Jazz conta com uma orquestra formada por 13 dos melhores músicos brasileiros e cobre cerca de 40 anos da obra de Antônio Carlos Jobim, que vai de meados da década de 50 até os anos 90, fase final da carreira do maestro. No repertório lapidado para as apresentações, um passeio pela carreira universal de Tom através de standards como “Wave”, “Samba do Avião”, “Surfboard”, “Mojave” e “Takatanga”, além de raridades como “Paulo Vôo Livre”e“Polo Pony”.